Capa da Publicação

Arrow: 5.10 – O grito da Sereia em Star City!

Por Márcio Jangarélli

Atenção: Alerta de Spoilers!

Meu nome é Laurel Lance e essa é minha história.

Não, a Laurel infelizmente – ou felizmente, nunca se sabe que tipo de solução dariam para issonão voltou dos mundos dos mortos. Os rumores estavam certos e o retorno de Katie Cassidy foi com a Black Siren, a duplicata vilanesca da Laurel, vinda da Terra-2, que possui o Grito da Canário.

Considerando tudo que poderia dar errado, na verdade foi uma boa história. A Black Siren, que estava aprisionada em Central City, é libertada pelo Prometheus para atormentar ainda mais a vida do Team Arrow – agora, com um rosto conhecido. A participação da personagem revela o nível de conhecimento do grande vilão sobre a vida dos heróis e reforça a história do Arqueiro Verde na Terra-2. Oliver está morto há 10 anos por lá e esse é um dos fatores do lado negro da Canário.

O legal é que o episódio manteve o nível da temporada, que até agora está muito boa – na medida do que Arrow pode fazer. Katie Cassidy está ótima como vilã, matou um pouco da saudade que estávamos nutrindo da Laurel e devemos vê-la novamente muito em breve. O plot abre uma discussão sobre as condições que levam alguém para a vilania, ao mesmo tempo que ajuda o Curtis a desenvolver um pouco mais de autoestima, depois de todos os infortúnios que lhe pegaram.

Enquanto isso, na prisão a jornada do Diggle versus o Exército corrupto continua, com o auxílio do procurador Chase, que vem se mostrando cada vez mais um personagem interessante. Não dá para dizer ainda onde essa trama vai desembocar, porém, parece promissora.

Mas é bom continuarmos com um pé atrás aqui. Os flashbacks do Oliver na Rússia trouxeram uma personagem que dá um frio na barriga por conta de seu nome. Talia Al’Ghul fez sua primeira aparição, salvando o protagonista do cativeiro. Qual será a história da Filha do Demônio? Quem sabe. O trauma deixado pelo Ra’s ainda está vivo, então fiquemos atentos.

Outro ponto importante a ser discutido aqui é o destino da Felicity. A personagem viveu seu luto durante o episódio, extremamente raivosa e deprimida. Tudo aponta que ela deve entrar em um caminho um pouco mais obscuro, o que deixa a questão: estariam construindo um futuro vigilante para a moça? Rumores surgiram de que ela poderia assumir o manto da Canário, o que é MUITO pouco provável, porém, não é de se duvidar que, em algum momento, vejamos ela atuando um pouco mais nas ruas.

E falando sobre o manto da Canário, pelo visto não será a Laurel da Terra-2 que o carregará. Bem no fim do episódio, somos apresentados a uma personagem nova, que parece ter um grito sônico, em um clima que remete bastante à heroína dos quadrinhos.

Interpretada por Juliana Harkavy, o nome da moça é Tina Boland e ela é o foco do próximo capítulo. Aliás, Tina está em Hub City, a cidade do Questão e do Ted Kord, o Besouro Azul. Bem interessante a série mostrar, enfim, a cidade, que já foi citada algumas vezes.

Quem sabe o que o futuro reserva para Arrow? Talvez os fãs finalmente ganhem a Canário Negro com grito sônico e personalidade forte inspirada nos quadrinhos. E talvez, só talvez, ela não venha sozinha de Hub City.

O que achou do episódio? E do desfecho da história com a Laurel? Não deixe de comentar!

Confira nossa galeria com imagens do episódio:

Arrow vai ao ar todas as quartas, pela The CW.

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.