Capa da Publicação

Henry Cavill explica a desculpa do Superman para a destruição de Metrópolis!

Por Márcio Jangarélli

Metropolis foi praticamente demolida durante a batalha entre o Superman e o General Zod, mas, para ser justo, ele salvou o Terra de ser dizimada e subjugada às custas da cidade. Henry Cavill foi questionado, recentemente, sobre esse problema em Homem de Aço e como ele se sentia sobre esse ponto ser a grande chave para os problemas de Bruce Wayne com o herói em Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

Eu acho que pode ter sido parte de um grande plano o tempo todo. Quando se trata do panorama geral, eu realmente não posso falar nada sobre porque está bem acima do meu pagamento. O que eu posso falar é sobre a ideia do Superman, especialmente quando o dedo é apontado para o dano colateral no primeiro filme. Quer dizer, nós estamos falando sobre um herói inexperiente”.

Um dos pontos que distancia esse Superman do Batman é que ele ainda está tentando descobrir seu próprio caminho e os limites dos seus poderes. O Homem de Aço que conhecemos não deixaria aquela destruição em Metropolis acontecer, porém, esse Superman não chegou lá ainda. Você tem que errar muito antes de aprender.

Cavill também foi perguntado se o herói, hoje, faria diferente.

Vamos dizer que se, hoje, o Superman estivesse enfrentando a mesma ameaça, essa seria uma história diferente. Ele iria, claro, trazer o dano colateral para um mínimo, mas lá ele estava apenas tentando sobreviver, porque se ele não saísse daquilo, o planeta também não sairia. Essa é a desculpa que eu dou para o Superman. Ele é novo, ele é iniciante e é muito fácil apontar as falhas de alguém depois que eles fizeram aquilo, mas coloque-se no mesmo lugar e veja se consegue fazer diferente”.

Batman vs Superman: A Origem da Justiça, onde, pelo menos pelos trailers, parece que os danos colaterais ainda não estão tão mínimos assim, chega aos cinemas em 24 de março.

Fonte: ComicBook

Imagem de perfil
sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor, redator e jornalista. Madonna de Jakku.