Capa da Publicação

Doutor Estranho – Primeiras críticas do filme são reveladas!

Por Gus Fiaux

Até o presente momento, o filme está com 100% de aprovação no Rotten Tomatoes, o maior portal de críticas cinematográficas do mundo. Entretanto, a média das críticas está um pouco abaixo do esperado, com 6,9. Contudo, conforme as semanas forem se passando, mais críticas serão registradas e esses números irão mudar.

Temos aqui, no entanto, alguns trechos das primeiras resenhas lançadas até agora:

Como a maior parte dos filmes da Marvel Studios, Doutor Estranho seria puramente escapista se não fosse por dois importantes elementos: a retratação estonteante do multiverso e um elenco que torna os personagens realistas, mesmo com todo o drama fantástico ao redor deles – algo que o público não vê desde o primeiro Homem de Ferro ou partes de Os Vingadores. Nota: B-” – The Playlist.

As atuações são envolventes: Cumberbatch continua encantador e espirituoso, seja cheio de si ou então na jornada para deixar seus medos e aprender a se levar. Swinton faz bom uso de suas qualidades extra-terrenas, e Rachel McAdams (como a ex e possível futura namorada de Strange) oferece um necessário nível de ancoramento para os eventos bizarros. Mikkelsen é infelizmente mal-utilizado, mas seu confronto com Strange permite ao público da TV um aguardado confronto entre Hannibal e Sherlock.” – The Warp

Se idiotas como Stephen Strange podem aprender que servir a um bem maior é a melhor forma de usarem seus talentos, podemos crer que os babacas no mundo real podem ficar um pouco mais esclarecidos quando contemplarem a vida, a morte e seus lugares no universo – mesmo que para isso eles precisem ser iludidos para comprar os ingressos para ver a mais nova viagem psicodélica da Marvel.” – Tha Daily Beast

Eu gostei bem mais de Doutor Estranho do que pensei que gostaria. Não que eu não achasse que o diretor não pudesse produzir um bom filme do personagem, mas sim por que introduzir um novo super-herói parece uma tarefa costumeira atualmente. O público não aguenta mais histórias de origem, mas o mundo de Strange é tão bizarro que não há realmente nenhuma maneira de fazer esse cara aparecer com seus feixes interdimensionais, anéis, e a Capa da Levitação (que, aqui, tem uma personalidade própria) e não oferecer algum tipo de explicação de duas horas. Este filme é a sua explicação de duas horas. E Derrickson e equipe oferecem o deslumbramento visual que quase camufla o que estamos realmente assistindo. Mais uma vez, é uma tarefa ingrata estes dias, mas Doutor Estranho encontra uma maneira de fazer até mesmo o mundano parecer único.” – Uproxx

Esta é realmente a única maneira que Doutor Estranho desvia da fórmula Marvel: Tipicamente, os filmes tem personagens fantásticos, visual ok e ação. Estranho é o oposto; é glorioso de se assistir (e o raro blockbuster onde o 3D realmente acrescenta algo à experiência), mas os personagens são maçantes. É mérito de Derrickson evocar imagens para coincidir com o espírito aventureiro de seu protagonista. Mas você pode ver através de seus personagens, mesmo quando as suas almas não estão flutuando fora de seus corpos.” – Screencrush

“[…] Tais cenas podem ser boas para o espetáculo, mas a batalha mais fascinante de Doutor Estranho é dentro de si mesmo, com ele lutando primeiro para recuperar o uso de suas mãos e, posteriormente, para superar tudo o que aprendeu – não só sobre as leis da física, mas também a convenção social que o transformou em um viciado por um trabalho que ele não consegue mais fazer. O personagem está literalmente lutando por sua vida neste filme, e Cumberbatch capta tanto a sua humildade e a subsequente recuperação da confiança. Aqui está um homem que jurou jamais ser um cirurgião de sala de emergência, porque ele não estava interessado em salvar uma vida de cada vez, apenas para ser depois inutilizado por seus ferimentos. Então, enquanto nós podemos bocejar com mais uma ameaça para toda a humanidade, “Doutor Estranho” tem sido apresentado de tal maneira que este chamado superior restaura sua capacidade de ajudar o mundo inteiro. Entendemos que este chamado importa para ele, mesmo que seus motivos permaneçam um mistério.” – Variety

14 filmes no Universo Cinematográfico da Marvel – e com muitos outros filmes de quadrinhos atualmente – a estrutura de história de origem do Doutor Estranho é  excessivamente familiar, incluindo um monte de pontos fortes (o protagonista carismático; os momentos emocionantes e divertidos onde ele descobre novas habilidades) e fracos (um vilão que parece subdesenvolvido) que já esperávamos. Mas os outros reinos e visuais que o filme traz para o MCU são fascinantes e emocionantes, com um grande potencial para o futuro. Agora que a sua história de origem já foi contada, estou ansioso para ver o que vem por aí para o bom doutor. Nota: 7,7 / 10” – IGN

Um personagem cult dos anos 60, preso nas margens do Universo Marvel há 50 anos finalmente chama a atenção do mundo em Doutor Estranho, uma aventura envolvente, fascinante e esporadicamente estonteante, que integra o portfólio do estúdio. Determinado, entre outras coisas, a bater Christopher Nolan em seu próprio jogo quando se trata de dobrar e distorcer cenários em sequências arrepiantes, este filme de ação ostensivamente enraizado nos princípios de expansão da mente do misticismo oriental é diferente o suficiente para estabelecer um nicho sólido juntamente com o resto da franquia multibilionária.” – The Hollywood Reporter

Se a Marvel leva créditos por, às vezes, ser estranha demais, é porque eles fazem um ótimo trabalho em misturar elementos da cultura nerd no clima de Hollywood. Filmes como Guardiões da Galáxia só parecem arriscados porque as salvaguardas de segurança foram muito bem escondidas, e isso se aplica bastante a Doutor Estranho também. E ainda assim, uma coisa é pegar um mundo estranho e torná-lo familiar, e outra é pegar algo familiar e nos mostrar novas maneiras de olhar para isso. Esse é o primeiro filme do MCU que cumpre essa segunda tarefa, que é mais difícil e arriscada, e é um bom prenúncio do que nos espera num futuro mais estranho para o MCU. Nota: B-” – IndieWIRE

De certa forma, Doutor Estranho é cronometrado demais para fazer parte dos melhores filmes da Marvel, mas por outro lado, sua retratação destemida das dimensões paralelas que Stephen desbrava no MCU enfatiza a completa confiança do estúdio no material fonte e no retorno financeiro desejado. Talvez essa confiança fará com que a Marvel possa ir além de uma história de origem daqui para frente. Enquanto isso, a estreia do Mago Supremo faz com que estejamos esperançosos o suficiente para que coisas estranhas, por assim dizer, surjam em seu caminho. Nota: 3,5/5” – Den of Geek

Ao que tudo indica, o filme está sendo bem elogiado por seu elenco e pelo seu impressionante visual. Contudo, a fórmula dos filmes de origem da Marvel e outro vilão fraco parecem ser outros fortes pontos de críticas. O resultado final só descobriremos quando Doutor Estranho estrear em 3 de novembro.

Fonte: Heroic Hollywood

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux