Capa da Publicação

De Volta Para o Futuro: Parte II – Futuristas analisam os erros e acertos do filme sobre 2015!

Por Gus Fiaux

O escritor Bob Gale e o diretor Robert Zemeckies tiveram de fazer uma viagem de 26 anos para o futuro a fim de imaginar o que estaria acontecendo no presente ano, e no fim do ano passado (que não está tão distante assim), alguns futuristas fizeram uma série de pesquisas sobre o que o filme acertou e o que fazia (e faz) parte apenas da ficção.

Provavelmente, a parte mais divertida e animadora da discussão veio a partir da descoberta de que sim, hoverboards existem. E claro que eles não são baratos, comercializados em qualquer esquina e utilizados para fins de lazer, mas já possuímos as primeiras pranchas flutuantes cujo mecanismo é baseado em um sistema de repulsão magnética, o que significa que ele só pode se locomover sobre metais. Mas já é um começo!

Entretanto, o mesmo não se pode dizer de máquinas de fax. Enquanto, nos anos 80, o Fax era uma invenção revolucionária, hoje em dia há diversas maneiras de compartilhamento de imagens e documentos virtuais que substituíram a tecnologia. Ainda ao contrário do filme, não é comum ter comida desidratada e dispositivos que a hidratem.

O visual, entretanto, é algo promissor. Apesar de as roupas ainda não se ajeitarem sozinhas ou secarem, a indústria têxtil tem progredido. E a Nike pretende até mesmo lançar um sapato inspirado no usado por Marty no filme.

Carros não voam em grande escala (ainda) e nem Tubarão 10 chegou, que dirá 19, mas o filme ainda assim acertou em várias coisas. E caso tenha deslizado em algumas, ainda temos dez meses para recuperar tudo isso, afinal, tudo ocorre no dia 21 de outubro em diante.

Fonte: Newsweek

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux